alegria de pobre

Baby Isabella, ao contrário dos meninos, começou cedo a dormir mais longamente à noite (não dorme nada durante o dia, só cochila no colo), esta semana, às 6 semanas de vida, chegou a fazer 6 horas (das 8pm às 2 am) por 3 noites seguidas, entretanto, como rapadura é doce mas não é mole nao, junto com as dormidas mais longas veio a gritaria pela madrugada afora, gritaria dos gases que ela prende nos arrotos engolidos. O fato é que ao dormir a esticada de 6 horas, meus peitos ficam estourando de tão cheios e quando você soma a isso uma Pituquinha que acorda faminta, o resultado é uma mamada desesperada engolindo muito ar. Ai, é ladeira abaixo. Passamos três noites com ela acordando às 2 da manhã e só dormindo novamente das 5 às 7, em cima de mim, ou seja, só ela dormia (e pouco). Pior do que não dormir era a gritaria desesperada de quem está sentindo um desconforto muito grande, o espernear de quem está com dor. Tinha que me controlar para não chorar junto. 

Ontem decidi então que não a deixaria mais sem mamar por tantas horas, e durante esta noite, peguei a pequena à meia noite e coloquei no peito que estava, digamos, menos cheio. Funcionou? Bem, ela mamou sem muito desespero e depois não gritou nem esperneou. Porém, não dá pra considerar bem sucedida uma investida que resultou em múltiplas mamadas madrugada afora. Agora são 5:30 da manhã, e é a quarta mamada desde a meia-noite. Praticamente uma por hora. Dizer que to o pó da rabiola é eufemismo. E o pior é que entre uma mamada e outra, após arrotar e ser posta pra dormir, ela começava a se contorcer e às vezes quase engasgava com leite que voltava por causa do ar, ou seja, to acordada desde a meia-noite, ora vigiando a pequena, ora segurando ela em cima de mim. 

Se esse ritmo não mudar, não sei até quando aguentarei 😦

(quase) em cárcere privado por mais de 5 semanas

Bebezuca tá quase completando sua sexta semana fora de barriga e dentro de casa. Sair da caverninha só mesmo pra ir ao médico ou à embaixada para tirar o visto (por sinal, pequenina já tem seu passaporte brasileiro devidamente carimbado com visto americano). A primeira saída de carrinho (com o Moisés) foi um fracasso, já a segunda, com a cadeirinha, foi fenomenal. Poderia sair com ela assim todos os dias não fosse a poluição que nos faz prisioneiras. Alias, Bebellinha é muito passeadeira! Vai gostar de rua assim aqui em casa rsrs Além de ser fã das voltinhas de carrinho, ama passear de carro. Uma Maria Gasolina de primeira rsrs.

A novidade da semana é que nossa Pituquinha começou a passar (ainda) mais tempo acordada durante o dia e a interagir. Já ensaia sorrisinhos, faz contato olhos no olhos, leva as mãozinhas à boca… nossa filhotinha tá crescendo, mais um pouco e tá na pré-escola 😛

A grande surpresa desta semana foi um soninho de mais de 5 horas à noite, mas nem deu tempo de soltar fogos e contar pros vizinhos, porque na noite seguinte regrediu novamente pra no máximo 3. Fazer o que, né? Vamos de baby steps. Que ela é bem mais fácil que os meninos foram não há dúvidas, então qualquer esmola é celebrada ainda que por alguns segundos apenas.

falta um mês!

Só digo uma coisa: caraca!!!!

Falta só um mês para embarcarmos (menos do que isso para empacotarmos a casa) e ainda há tanto a ser feito que fico tonta só de pensar. Aos poucos vamos riscando os itens da extensa to do list, eu mais “gerenciando” do que executando, mas tudo bem… a meta para a próxima semana é fazer o backup de todas as fogos e vídeos para o Google Photos e para o HD portátil novo que compramos recentemente. Há milênios não toco nos HDs antigos, rezo pra não ter uma surpresa desagradável. Não mereço mais esse estresse, né? 

O difícil é arrumar tempo pra fazer isso. Pituquinha fica em cima de mim (literalmente) 24/7, o que dificulta bastante o trabalho. Mas o que tem que ser feito, tem que ser feito, nem que seja com ela no sling. 

Já estamos com muitas coisas engatilhadas: Airbnb alugado pros últimos dias aqui e a primeira semana lá, lista de casas feita para começarmos nosso house hunting ASAP, modelos de carros pré-selecionados para comprar, documentos para matrícula dos meninos separados, passaportes e vistos prontos, consulta de 2 meses do bebê + vacinas agendadas… ao mesmo tempo, falta ainda tanta coisa… e eu sem poder agitar nada porque a poderosa chefinha é prioridade absoluta (e ela sabe disso). 

Essa contagem regressiva é, sem dúvida, a mais estressante da vida, até agora. 

Eu adoro me mudar, recomeçar, mas ó, dá um trabalho que não é pra qq um não, só pra almas jovens (note que disse almas! Rs) e aventureiras e saçariquentas 🙂

me explica?

Olha, do alto da minha experiência de mãe de 3, me sinto completamente leiga, confusa e incrédula quando me deparo com esses ensaios de recém nascido. Como pode, alguém me explica? 

Eu jamais me atreveria a mexer nos meus bebês durante o suado soninho deles. Nenhum dos meus 3 rebentos são bons exemplares de bebês dorminhocos, muito pelo contrário, então, quando eles adormecem, eu nem respiro direito… só falta eu flutuar em vez de andar. Imagina se vou mexer neles para coloca-lós naquelas adoráveis poses?? De maneira nenhuma!! Nem em sonho. 

Não que eu tenha vontade de fazer um ensaio daqueles, não tenho mesmo, nunca tive, mas caramba, queria que meus bebês dormissem profunda e inabalavelmente como esses bebês serenos das fotos! Alguém me explica como faz?? Pliiiiiissss

a primeira visita a pediatra

Pituca foi pela primeira vez à pediatra, uma senhorinha muito fofa por sinal. 

Comportou-se muito bem até momentos antes de tomar as vacinas (BCG e Hep B) – parecia prever. Abriu um bué tao grande, tadinha. Chorou inconsolável e só parou no momento em que pisamos fora da clínica. 

Tivemos, de um modo geral, uma boa consulta. Pituca que nasceu com 3.460Kg (75% na curva) finalmente recuperou seu peso com uma sobrinha. Está agora com 3.580Kg (caiu para 11% na curva). Apesar de ter caído nas curvas, a médica não se mostrou preocupada nem com isso, tampouco como comprimento que não aumentou absolutamente nada! Pituca nasceu grandinha, com 53cm, na curva dos 99% e agora, um mês depois não cresceu nadica de nada e, claro, caiu vertiginosamente para 33%. Na hora, talvez porque eu estes lerda de sono, não dei importância e como a médica não se alarmou, voltamos pra casa tranquilos. Are que a ficha caiu. E aí, tome de pesquisar no Dr. Google, o assustador. Chegamos a mandar uma mensagem para a pediatra, mas ela respondeu dizendo que 1 mês era muito cedo para nos preocuparmos, disse que deveríamos esperar mais um mês para ver como ela progride.

E quem disse que é fácil esperar um mês com essa angústia nos rondando? 

Tá certo que a bebê parece ótima, não tem a menor pinta de estar com algum problema, mas caramba, não crescer nadinha no primeiro mês quando a média de crescimento deveria ser entre 2.5 e 3.8 cm?! 

o primeiro mês da nossa bela Isabella

Produzida no Vietnã, nascida na Coreia do Sul e, em breve, transferida pros Estados Unidos. 

Mais internacional que isso até é possível, mas é difícil encontrar. Meu bebê temporão, acidente de percurso, descuido de férias de verão hoje completa um mês de vida fora da barriga. Parece que foi ha um ano, mas parece também que foi ontem. 

Meu último rebento, a raspinha do tacho que, cá entre nós, apesar de não dormir durante o dia e viver plugada no peito, é meu recém nascido mais fácil/calminho. É a primeira vez que um bebê meu fica acordado na boa sem chorar. 

To cansada? To. Exausta. Queria dormir uma noite inteira? Não só uma noite, mas um dia inteiro também. Mas isso ainda vai demorar um pouquinho para acontecer. 

O fato é que já não consigo lembrar da nossa vida sem nossa bela Isabella, que há um mês vem movimentando a casa, mudando tudo de lugar, bagunçando a agenda, desfazendo programações e mostrando quem manda no pedaço. 

Mal completou um mês de vida fora da barriga e já começou a nos presentear com os sorrisos banguelas mais lindos! Ver nossa pequena sorrindo me faz transbordar de felicidade, me deixa com os olhos rasos d’água e um tremendo nó na garganta de tanta emoção. 

Mas nem só de alegrias vive uma mãe… casa vez que a pequena chora por causa de algum desconforto, quase choro junto com ela. Não é algo que aconteça com frequência, graças a Deus, bate na madeira, mas me dá um desespero digno de mãe de primeira viagem. Aliás, amanhã será dia de vacina. BCG e hepatite B, acho. Algo me diz que vou chorar maus do que ela. 

Aqui as coisas são meio diferentonas, o bebê não tem consulta com pediatra nem family doctor, a menos que haja necessidade. Isso me deixa um pouco insegura, queria um acompanhamento mais de perto nesse começo, pra ter certeza que está tudo bem… especialmente porque vamos nos mudar pro outro lado do globo muito em breve. Por isso, decidi marcar uma consulta com uma pediatra. Por isso e também porque ela tem uns episódios que freak me out com a respiração super estranha, como se estivesse engasgada ou faltando ar. Nunca vi isso. Começou eventual ainda na primeira ou segunda semana de vida, e vem ficando mais frequente, especialmente durante a madrugada. To bem tensa com isso. Sem falar que, apesar de mamar direitinho e de estar aparentemente tudo certinho, minha pituquinha ainda tá bem magrelinha 😦 Fui rever as fotos dos meninos com a mesma idade e fiquei preocupada. Melhor checar. 

Anyways, que venham os próximos meses e que eu tenha energia pra curtir cada instante e paciência para superar cada fase difícil. Amém!

como assim?

Esta madrugada, pituquinha me de um susto. Foi dormir por volta das 8:40pm e do acordou às 2:30am porque eu fiquei apreensiva e comecei a mexer nela, tirá-la do pacotinho.. como assim, gente, um bebê de nem 1 mês dormindo quase 6 horas seguidas à noite?!?? Nunca na história dessa família! Eu sonhava com um bebê que acordasse s cada 2 horas, pra mim, isso já seria um baita upgrade! Mas 6 horas?? 

Veja bem, não estou reclamando, só um pouco preocupada (por que eu sou dessas). Nick só foi dormir por 6 horas quando tinha quase 2 anos!

Mas essa dormida longa foi providencial, encomendada pelos anjinhos da guarda, porque coincidentemente, esta madrugada, Vivi teve uma crise de asma/bronquite, com muita tosse e muita dor no peito (porque resolveu não usar máscara para brincar lá fora durante o fim de semana de ar poluído). Que sufoco, viu? Só não foi pior porque, graças a Deus, bebezinha ainda não tinha acordado (sido acordada) pra mamar, então pude cuidar do primogênito, preparar a inalação… e como bebezinha mamou e voltou logo a dormir (outra coisa que ainda estranho quando acontece), pude também checar o vivi outras vezes durante a madrugada. No fim, tudo deu certo, mas foi impossível não imaginar como teria sido difícil caso a Isabella fosse um bebê do modelo do Nicky… meu anjo da guarda tá ligado, graças a Deus!

Hoje ela passou um dia até bem calmo. Vejamos como será a noite. Espero que tenhamos pela frente mais “dia sim” do que “dia não” 🙂

PS. Apesar de eu estar achando que a pequena aprendeu a pegar o peito direito, meus bicos ainda doem (quando ela não está mamando), estão super sensíveis e com aquela sensação de agulhadas. Sem falar que os peitos estão bem doloridos,até quando não estão cheios. Estranho, mas vamos levando, né? Uma hora melhora. 

Happy Mother’s Day

Meu primeiro dia das mães com 3 filhotes. O ninho está finalmente completo.

Hoje eu só consigo pensar numa coisa: se ao longo da vida, eu conseguir fazer pelos meus filhos 1/3 do que minha mãe fez e faz por mim, terei cumprido meu papel com louvor. 

O dia foi cansativo, muitas mamadas seguidas e pouco descanso. Estou exausta e, surpreendentemente, sem muitas palavras, apenas o suficiente pra dizer: Obrigada, mamis, por todas dedicação, por todo amor. Obrigada por ser meu maior e melhor exemplo e por estar sempre presente segurando minhas barras. Sou muito sortuda mesmo.

Isabella começa a descobrir o mundo e contar historinhas

Foi ao completar 3 semanas se vida que nossa pipoquinha começou a perceber, observar e investigar o mundo a sua volta.  Foi tão engraçado vê-la de um dia pro outro tomando consciência do seu entorno! De repente ela começou a esticar o pescocinho e os olhares, uma fofura. Mas mais fofo que isso foi hoje, as três semanas e três dias, vê-la começando a conversar. Quase morri de amor. Nem parece que já é meu terceiro rebento. Alias, com todos os filhos, sempre curti as fases como se fosse a primeira vez. Se bem que agora, curto mais ainda porque com certeza é a última vez. 

Tao lindinha, tão fofinha. Ai como é deliciosa essa fase. E que sorte a nossa poder viver tudo isso novamente.

comprar e não usar (e funcionar assim mesmo)

Taí uma coisa interessante que acontece comigo. Volta e meia, em situações de crise, acabo comprando um item, no calor do momento, para solucionar um problema e quase sempre não faço uso dele. Mas o problema é solucionado assim mesmo. Incrédulos vão dizer que a situação teria se resolvido ainda que eu não comprasse nada, mas como já gastei o dinheiro mesmo, prefiro acreditar que o ato da compra facilitou a solução :0)

Tudo começou há 11 anos, quando o vivi nasceu e eu não voltava ao peso pré gravidez de maneira nenhuma. Comprei um DVD de yoga pós parto e jurei que faria todos os dias até voltar ao peso original. De fato, no mês seguinte já estava com meu corpo pré gravidez de volta. Isso apesar de NUNCA ter dado play no DVD. 

Ao longo desses anos, outras situações parecidas ocorreram mas foi agora, com o nascimento da pequena que, ao ver meus peitos empedrando fui desesperada comprar um breast pump e jurei que usaria todos os dias até não ter mais um nódulo dolorido de leite. De fato, em três dias o leite desempedrou e eu nunca mais tive problemas. Isso apesar de eu NUNCA ter usado o breast pump. Pelo menos dessa vez comprei artigo de segunda mão e paguei 25% do valor de um novo. Prejuízo menor rsrs

Mas comigo é assim, basta comprar e acreditar que vou usar para o negócio funcionar 😬